Quando a vida te acertou?

Essa é uma pergunta que me faço todos os dias, principalmente naqueles dias em que sair da cama é difícil, ou simplesmente quando você vai a um encontro e ao mesmo tempo em que se faz esta pergunta entra a outra famosa “O que eu estou fazendo aqui?”; Gosto de pensar que com meus 20 anos eu ainda tenho uma vida toda pela frente e que ela vai mudar e simplesmente terei um futuro melhor do que o passado e presente conflitante que eu tenho, mas mesmo assim eu não vejo vida nenhuma pela frente, é desesperador ter que assumir isso para si mesmo e se convercer todos os dias que você simplesmente não pode deixar a peteca cair, porque afinal de contas já se fazem 7 anos ou talvez tenha sido mais?
A memória do ser humano para eventos traumáticos é algo extremamente intrigante e fascinante, para ser mais honesta, alguns simplesmente criam um bloqueio no subconsciente e aquelas memórias simplesmente desaparecem e as vezes você terá problemas que não saberá de onde veio e provavelmente seja culpa desse bloqueio, ou talvez você tenha uma certa sorte de isso ter ficado tão bem guardado que isso não vai te fazer lembrar e nem influenciar sua atual vida em nada, e poderá viver tranquilamente, ou a memória se comporta do mesmo jeito que se comporta para mim, você simplesmente não esquece, e toda vez que você tenta puxar a raiz do problema, como a primeira vez que a vida te acertou e as coisas começaram a ficar complicadas, seu cérebro vai começando a remoer coisas mais antigas e então você chega a conclusão que você está se afogando dentro de si mesmo, é… Infelizmente você não vê a luz do sol batendo nas águas para te fazer sair dali.
Então naqueles mistos de memórias traumáticas movimentando um turbilhão dentro de si, eu cheguei a triste confirmação de que eu não sei mais como sair e talvez eu nunca saía, mas apesar de me sentir fragilizada, cansada e machucada, aquele sentimento gigantesco de ingratidão te assombra, e ao contrário do que a maioria esmagadora de pessoas acha, pensar que tua vida está melhor do que de outras pessoas não vai te fazer sentir melhor consigo, só te faz sentir impotente e pensar que o mundo é um lugar cruel para se estar e que sua existência é um fardo para as pessoas a sua volta.
Apesar de tudo, eu agradeço pelas tentativas ingênuas dos meus amigos de tentar me ajudar, mas como eu disse pra um deles: Não é uma coisa superficial, é mais fundo do que parece.
Não é que tu seja mal agradecido, ou um tanto egoísta, mas é que talvez a vida já tenha te acertado tantas vezes com um intervalo tão curto de tempo, que a ferida fica tão funda e não se cicatriza sozinha mais.
Então quando foi que a vida começou a te acertar? Porque eu honestamente não lembro direito mais.

Imagem de sunset, book, and girl

Luiza Homrich

Aline Lima

Administradora, 20 anos, apaixonada por moda, muito amor por musica, viciada em seriado, sempre pesquisando o melhor conteúdo pra você leitor ou leitora. Espero que goste desse post, fiz com carinho.

10 Comments
  1. Parabéns pelo, até tomei a liberdade de co.partilhar em meu blog porque é o tipo de reflexão que faço quase todo dia quando vejo que será outra batalha comigo mesmo para não deixar que o barco afunde de vez.

  2. Parabéns pelo, até tomei a liberdade de co.partilhar em meu blog porque é o tipo de reflexão que faço quase todo dia quando vejo que será outra batalha comigo mesmo para não deixar que o barco afunde de vez.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Powered by keepvid themefull earn money